0300 770 0262 (para Capital) / 0800 770 0262 (para Demais Localidades)
Ícone do WhatsApp SERVIÇOS: (11) 99520-9479 Ícone do WhatsApp PEÇAS: (11) 95022-8630 Ícone do WhatsApp FINANCEIRO: (11) 97235-5108

Notícias

Veja outras notícias recentes

Julho/2017

Junho/2017

Maio/2017

Dezembro/2016

Novembro/2016

Setembro/2016

Agosto/2016

Julho/2016

Junho/2016

Maio/2016

Abril/2016

Março/2016

Fevereiro/2016

Dezembro/2015

Novembro/2015

Outubro/2015

Agosto/2015

Julho/2015

Junho/2015

Maio/2015

Abril/2015

Março/2015

Pedreira catarinense amplia atuação com o auxílio de máquinas da BMC-Hyundai

Construção Civil MG incluiu serviços de terraplanagem e pavimentação asfáltica para atender obras públicas. Atualmente, a frota da empresa é formada por nove equipamentos da fabricante sul-coreana. 


Localizada em Ibirama (SC), a Construção Civil MG possui uma atuação diversificada. A empresa, que iniciou suas operações de britagem em 2000, com a venda de britas dos tipos 1 e 2, pó de brita, rachão, areia artificial, entre outros, deu um salto ao incluir serviços de terraplanagem e pavimentação asfáltica em seu portfólio em 2012. Esse último, inclusive, tornou-se o carro-chefe da companhia, que chega a fazer uma média de 12 mil m2 de pavimentação ao mês.


O sucesso da diversificação dependia, entre outros fatores, de uma frota de equipamentos robusta. Por esse motivo, a Construção Civil MG começou a investir em máquinas da linha amarela. A primeira aquisição foi uma escavadeira R210LC-7, da BMC-Hyundai, em 2008. “Como ainda não havíamos iniciado os serviços de terraplanagem e pavimentação, a máquina operava apenas na parte de extração de rocha, auxiliando na limpeza do local após a explosão”, conta Marco Grabowski, proprietário da pedreira.

Satisfeito com o desempenho do equipamento, o empresário elegeu a BMC-Hyundai como a fornecedora oficial de máquinas da MG: de 2008 para cá, mais de 20 equipamentos da marca já passaram pela companhia, incluindo escavadeiras, pás-carregadeiras e retroescavadeiras. Isso porque o modelo de negócios firmado entre as empresas inclui o trade-in. “A cada 10 mil horas trabalhadas, a BMC-Hyundai recebe o equipamento usado como parte do pagamento de um novo e, assim, garantimos a renovação constante da frota”, explica Grabowski.

O parque de equipamentos atual é formado por quatro pás-carregadeiras, modelos HL757-9S e HL760-9S, uma retroescavadeira H940C e quatro escavadeiras (duas R330LC-9S, uma R320LC-9S e uma R220-9S), que se dividem entre as atividades da companhia. As pás-carregadeiras, por exemplo, operam no carregamento de caminhões basculantes e na alimentação da usina de asfalto, ao lado de duas escavadeiras destinadas para a extração de rocha. Enquanto uma delas auxilia na limpeza do local, a outra, que é equipada com rompedor hidráulico, atua no desmonte secundário.

As outras duas, no entanto, foram direcionadas para a terraplanagem de rodovias, juntamente com a retroescavadeira H940C. Atualmente, elas estão sendo usadas na construção de uma rodovia que ligará os municípios de Presidente Getúlio à Rio do Sul, em Santa Catarina. A obra, que deve ser concluída em abril de 2017, tem extensão de 10.140 km.

“Mesmo trabalhando em condições severas, com jornadas de trabalho que variam de 8 a 10 horas ao dia, as máquinas da BMC-Hyundai têm apresentado um ótimo resultado. As escavadeiras que atuam na parte de extração de rochas, por exemplo, movimentam uma média de 1 mil m3 por dia”, avalia Grabowski.

Mais economia

Os anos de experiência com as máquinas da BMC-Hyundai permitiram que o diretor da Construção Civil MG fizesse um comparativo entre as séries da marca. As máquinas da pedreira migraram para a série 9 (mais recente) e, segundo Grabowski, as melhorias são notáveis.

A principal delas diz respeito à economia de combustível. “Quando eu usava uma escavadeira da série 7, por exemplo, ela consumia em torno de 27 litros de óleo diesel por hora. Com a R330LC-9S, esse consumo caiu para 23 litros”, explanou. O mesmo ocorreu com as pás-carregadeiras, onde o consumo caiu de 18 litros/h para uma média de 12 a 13 litros.

O baixo consumo de combustível, alinhado à alta disponibilidade das máquinas em campo e o rápido atendimento do pós-vendas tem feito o executivo apostar cada vez mais na marca. “Os equipamentos da BMC-Hyundai dificilmente dão algum tipo de problema e, quando eu preciso do suporte do pós-vendas, sou prontamente atendimento. Nossa parceria acaba sendo vantajosa para ambos os lados e só tende a crescer”, finaliza Grabowski, destacando que deve concluir a compra de mais uma pá-carregadeira HL757-9S até o final do ano.