0300 770 0262 (para Capital) / 0800 770 0262 (para Demais Localidades)
Ícone do WhatsApp SERVIÇOS: (11) 99520-9479 Ícone do WhatsApp PEÇAS: (11) 99669-6247 Ícone do WhatsApp FINANCEIRO: (11) 97235-5108

Notícias

Veja outras notícias recentes

Julho/2017

Junho/2017

Maio/2017

Dezembro/2016

Novembro/2016

Setembro/2016

Agosto/2016

Julho/2016

Junho/2016

Maio/2016

Abril/2016

Março/2016

Fevereiro/2016

Dezembro/2015

Novembro/2015

Outubro/2015

Agosto/2015

Julho/2015

Junho/2015

Maio/2015

Abril/2015

Março/2015

“Chegou a vez do Rental”, afirma Felipe Cavalieri

Com a descentralização das frotas de equipamentos, ocasionada pela redução do poder de compra das grandes construtoras envolvidas em atos de corrupção, Felipe Cavalieri, presidente da BMC-Hyundai, avalia que chegou a hora dos locadores de equipamentos ocuparem posição protagonista no parque de frotas da linha amarela de construção. A declaração do executivo foi dada ontem (08/06), durante o 5º Congresso Nacional de Valorização do Rental, realizado pela Associação Brasileira dos Sindicatos e Associações dos Locadores de Máquinas, Equipamentos e Ferramentas (Analoc), que foi hospedado na Semana de Tecnologias Integradas, da Sobratema.



Seguindo o raciocínio de Cavalieri – que foi compartilhado pelo presidente da Sobratema, Afonso Mamede – novas construtoras nacionais e internacionais devem ocupar maior espaço na execução de obras de infraestrutura. “Com pouco acesso à crédito, menor poder de compra ou mesmo falta de tempo hábil para estruturar uma frota própria, essas empresas tendem a procurar parceiros capazes de mobilizar frotas de equipamentos de forma rápida e eficiente”, diz ele. “Os locadores que estiverem estruturados para atender essa demanda, vão calcar bons negócios e ocupar um papel fundamental no desenvolvimento da infraestrutura nacional”, completa.

O executivo avalia que, em volume, a venda de máquinas não melhorou em relação ao ano passado. Em alguns meses deste primeiro semestre, ele lembra, aliás, houve queda em relação a 2016. “Mas a vantagem é que o perfil de consumo mudou, com rentals, mercado agrícola e outros setores antes menores tomando a dianteira”, diz ele, acreditando ser esse o modelo dominante daqui em diante.

“Sei que diante do cenário econômico atual é difícil acordar cedo todos os dias e ir tocar o seu negócio. Mas é preciso paixão pelo trabalho, pois é isso que trará a força necessária para enfrentarmos este momento de dificuldade ao qual todos passamos. E quem tiver paixão, tenho certeza, será quem vai ficar sólido e aproveitar a retomada do mercado”, conclui o executivo.